sexta-feira, 11 de outubro de 2013

#Parceria - Maria Izabel Gomes Silva


"Maria Izabel Gomes Silva é natural da Paraíba, onde gradou-se em Farmácia e Análises Clínicas, pela Universidade Estadual da Paraíba. Em 2000, foi morar na cidade de Fortaleza - CE, onde realizou especialização em Microbiologia e Parasitologia, Mestrado em Ciências Farmacêuticas e doutorado em Farmacologia pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Atualmente, é docente da Faculdade Grande Fortaleza e pesquisadora pós-doutoranda da UFC, na cidade de Fortaleza, onde reside com seu esposo e filho. Possui vários trabalhos científicos (incluindo artigos e capítulos de livros) publicados em periódicos nacionais e internacionais. No entanto, escreve também sobre variados temas de ficção, incluindo os volumes da série policial “Rico e Joana”. O primeiro volume da série policial foi publicado em 2012, pela Editora ISIS, e tem agradado leitores de todas as idades."


Entrevista concedida ao blog:

Café com Leituras: Como você descobriu que queria escrever livros de ficção?
Maria IzabelDesde criança, além do hábito da leitura estimulado pelos meus pais, eu sempre gostei de inventar histórias. Nessa época, eu criava com muito mais frequência do que costumava ler (risos). Frequentemente, eu acordava pela manhã com histórias completas na cabeça, com início, meio e fim. Porém, eu não as escrevia, mas gostava de contá-las à minha irmã mais nova.
Posteriormente, quando começaram as exigências das redações preparativas para o vestibular, eu ignorava o estilo descritivo e dissertativo da escrita e sempre direcionava as minhas redações para a narrativa. Percebi então que eu adorava não apenas criar e contar as minhas histórias, mas também escrevê-las.  Eu sempre fui uma aluna responsável e, por isso, vivia imersa em estudos e livros didáticos e científicos. Então, para fugir um pouco dessa rotina, eu criava histórias, como um meio de mergulhar na imaginação e me divertir com as minhas próprias criações.
Porém, devido à minha formação profissional, que exigiu muito de mim durante anos, foi apenas quando estava cursando o mestrado que resolvi voltar a escrever, deixando extravasar para o papel todas àquelas ideias que brotavam em minha mente. Desde então, em paralelo à minha rotina laboral, eu não parei mais de escrever. Claro que, algumas vezes, eu cheguei a passar meses longe dos meus textos, por pura falta de tempo. Mesmo assim, nunca me desliguei, nem mesmo um único dia, da vontade constante de escrever, que considero o meu maior lazer, ao lado da leitura.

Café com Leituras: Quais são os escritores que te inspiram?
Maria Izabel: Para o gênero policial, o genial Arthur Conan Doyle (Conan Doyle) é, certamente, o que mais me inspira! Porque me identifico (pessoalmente) com o senso de observação e a lógica dedutiva do seu imortal personagem Sherlock Homes.  Mas também aprecio os romances policiais da Agatha Christie e do Sidney Sheldon, que me inspiram no quesito trama (acompanhada de certa “leveza”). Também não posso deixar de citar o genial Edgar Allan Poe. Mas esse me inspira apenas no quesito mistério, abstração e diversidade de temas, pois não aprecio sua vertente macabra. Bem, basta observar o título da primeira aventura de Rico e Joana (o pirulito assassino), ou ler apenas a primeira página da obra, para se perceber que eu tenho uma forte atração pelo humor (narrativa bem humorada) e por leveza na trama como um todo (risos).

Café com Leituras: Quais são os seus livros preferidos? E o gênero que mais gosta?
Maria IzabelComo “Rico e Joana em o Pirulito Assassino” foi o meu primeiro livro lançado, a resposta a essa pergunta costuma gerar um pouco de surpresa, pois eu aprecio diversas categorias (como muitos dos amantes da leitura), sobretudo do gênero narrativo. Nesse gênero, eu adoro as categorias de: “romance policial”, claro (risos), “romance histórico”, “romances religiosos”, “religiosos”, “fantasia”, “humor”, “ação” e “aventura”. Também gosto do gênero épico.
Quanto aos meus livros preferidos, tenho uma estima especial para os de Lobsang Rampa (principalmente “A Terceira Visão”); os de Conan Doyle; alguns clássicos da literatura brasileira, como “A moreninha”; “A casa das sete mulheres” (Letícia Wierzchowski); e, como não poderia deixar de ser, os da série Rico e Joana (risos).   

Café com Leituras: Qual a sensação de ter o seu primeiro livro de ficção lançado?
Maria IzabelÉ realmente uma sensação magnífica e singular. Muitas pessoas me perguntam se eu já não estaria acostumada com “publicações”, já que tenho tantos trabalhos científicos publicados em várias partes do mundo. Então, eu respondo que experimentei sensações semelhantes entre os dois tipos de publicações, sobretudo voltadas ao processo de escrita (muita dedicação e trabalho intenso), bem como ao processo de submissão ao crivo de avaliadores. Ver um trabalho científico finalizado e publicado é muito gratificante e emocionante. Porém, ver o produto de meus sonhos e imaginação, confeccionado com o mais absoluto prazer, chegando às mãos dos leitores, foi uma das sensações mais maravilhosas que experimentei em minha vida.

Café com Leituras: Fale um pouco sobre esta série “Rico e Joana” e sobre seus planos para o futuro como escritora.
Maria IzabelBem, Rico é um detetive de polícia super sincero (o que traz humor à trama), apaixonante, educado, inteligente, bonito e cavalheiro. Joana é a filha de um renomado empresário da cidade onde eles moram (uma cidade fictícia, que faz referência à capital Fortaleza - CE). Ela cursa advocacia, é destemida, determinada e apaixonada por investigações policiais, sobretudo as secretas. A série “Rico e Joana” irá apresentar ao leitor uma nova aventura da dupla (com começo, meio e fim) a cada novo volume lançado.
Nessa primeira trama, um assassino atípico, vestido de palhaço e empunhado um enorme pirulito de rapadura como arma do crime, tenta matar o pai de Joana. Quando o detetive Rico é chamado para resolver o caso, o casal se conhece, em uma cena super engraçada (risos).  A partir desse momento, Joana irá se envolver nas investigações. Então, juntos, eles irão protagonizar cenas cheias de aventuras investigativas, super engraçadas e repletas de ação e emoção, com a participação coadjuvante de uma amiga de Joana e do primo dela. Esse primo é apaixonado por Joana, o que traz mais humor à obra, pois ele se opõe a toda hora à aproximação dos protagonistas Rico e Joana.
Bem, em meio a muita aventura, humor, romance, ação e emoção, existe uma trama bem costurada, que ao longo do livro vai sendo desnudada. Nos capítulos finais, o leitor irá experimentar ainda mais ação e emoção, além de descobrir a verdadeira identidade do palhaço assassino e o motivo que o levava a matar desferindo “pirulitadas” de rapadura em suas vítimas. O final realmente surpreende, tanto pela identidade do assassino quanto pela performance de Rico no desfecho do caso (risos). O romance dos protagonistas também trará fortes emoções.
Quanto aos meus planos futuros como escritora, eu pretendo seguir publicando a série Rico e Joana, mas também objetivo publicar outros romances que estão em construção, em duas diferentes categorias do gênero narrativo. Em resumo, felizmente, eu possuo imaginação suficiente para escrever sobre temas variados e isso me faz muito feliz (risos). Por isso, pretendo seguir em frente com essa carreira, que nasceu como hobbie e virou profissão, que me proporciona o maior prazer do mundo!!

Obra publicada da autora:

"Rico e Joana em: O Pirulito Assassino" – 2012 – Maria Izabel Gomes Silva – Editora Isis – 332 páginas.

Sinopse:

“Um terrível assassino vestido de palhaço faz suas vítimas desferindo golpes com um enorme e duro pirulito de rapadura. O encantador detetive Rico Dantas e a destemida Joana Coquinho irão desvendar esse mistério.
Com um enredo dinâmico, cheio de ação, aventura, suspense, romance e diálogos recheados de humor, o romance policial (primeiro volume da série) prende a atenção do leitor do início ao fim, de forma a agradar a todas as idades. Em um estilo próprio do narrador, as cenas inusitadas vão pouco a pouco desnudando a trama central ao longo de todo o romance. Quando então, nos capítulos finais, é revelada a verdadeira identidade do palhaço assassino e os motivos que o levaram a matar suas vítimas à pirulitadas, em um desfecho emocionante, que surpreenderá até o mais atento dos leitores.”


Outras informações:


Onde comprar:


Eu e o blog Café com Leituras, gostaríamos de agradecer a escritora Maria Izabel pela simpatia e confiança e dizer que ficamos muito felizes com essa nova parceria e que iremos aproveitar ao máximo. \o/ 

10 comentários:

camila disse...

Oi Neriana,

Parabéns pela parceria!!

beijos Mila
http://www.dailyofbooks.blogspot.com.br/

Nadja Moreno disse...

Oi moça!!
Parabéns pela parceria, adorei os comentários sobre o livro, me deixou curiosa... :-)

Beijos

Http://escrev-arte.blogspot.com.br

Universo dos Leitores disse...

O livro dela parece super interessante. Parabéns pela parceria e pela entrevista. Adorei saber que Poe é uma das inspirações dela.


Bjs, Isabela.
www.universodosleitores.com

jéssica b. rezende disse...

Oi Neri. :)
Parabéns pela parceria amiga. haha Adorei a entrevista.
O livro parece bem divertido. A sinopse é ótima! Tinha visto no Facebook, mas não tinha lido a sinopse ainda. ;D
Adorei.
Beijos e bom final de semana.

http://elaeseuslivros.blogspot.com.br ♥

Filipe Laia disse...

Parabéns pela parceria Neri!
Espero sinceramente que dê super certo e renda bons frutos para ambos.
A obra parece ser bem legal, não conhecia mas chamou muito a minha atenção.

Abraços
www.booksever.blogspot.com

Michelly Santos disse...

Que legal, Neri! Adorei o nome do livro! hehe... Parabéns por mais uma parceria!!!

http://maisumapaginalivros.blogspot.com.br/
Mais Uma Página

sabrina naia Oliveira disse...

Parabéns pela parceria que venha sempre mais,,sucesso amiga,,
Beijos com carinho.
Blog Charmosa.com...
http://sabrinielo.blogspot.com.br/

Rogério Queiroz disse...

Oi, Neri!!!
Que parceria legal, hein.
Vi que a autora é fã de Sidney Sheldon... já gostei dela!
Adoro Romances Policiais e fiquei curioso com esta história de usar como arma um "pirulitão de rapadura", com assim? Depois quero que você explique essa história, haha.

Abraços.

Uma dose de palavras.
http://uma-dose-de-palavras.blogspot.com.br/

Luara Cardoso disse...

Que parceria legal! :)
Fiquei curiosa com esse enredo, parece ser engraçado.

Um beijo,
Luara - Estante Vertical

Danielle Casquet disse...

Amiga super parabéns pela parceria e muito sucesso para autora!
Gente que titulo super engraçado, fiquei curiosa para ler (risos)!
bjkas
Dani Casquet- Livros, a Janela da Imaginação

Postar um comentário